Notícias


11/02/2020 - Cotação de preços é divulgada pela Ceasa

A variação dos preços está condicionada a fatores como sazonalidade dos itens comercializados e leis de oferta e procura

Na tarde desta terça-feira (11), a Central de Abastecimento (Ceasa) divulgou a análise de mercado dos produtos comercializados na segunda-feira (10). A lista de itens apresenta o preço médio de comercialização na central, bem como os valores mínimo e máximo de venda dos produtos.

Os preços são determinados por diversos fatores, destacando-se, dentre eles, as leis de oferta e procura e a sazonalidade. Este último fator influencia a queda ou o aumento dos preços pois existem produtos cuja produção é determinada pelas condições climáticas, sendo cultivados apenas em determinados períodos do ano.

A lista fornecida pela Ceasa Regional traz mais de 90 itens, entre eles alimentos hortifrutigranjeiros (como alface, brócolis, tomate, batata e ovos), flores e produtos diversos tais como polvilho, queijo, rapadura, requeijão e mel.

O preço médio de comercialização de alguns alimentos, nessa quinta-feira, foi de R$ 200,00 para o polvilho (saco de 50 kg); R$ 70,00 para o pepino japonês (caixa de 20 kg); R$ 40,00 para a batata-doce roxa (caixa de 20 kg); R$ 115,00 para o chuchu (caixa de 20 kg); R$ 100,00 para a abobrinha caipira (caixa de 20 kg). Há itens que custaram R$ 1,00, como a cebolinha, o coentro e a salsinha. A cotação traz ainda a informação sobre produtos importados, como ameixa, nectarina e kiwi.

Confira a lista completa dos itens comercializados:
 






OUTRAS NOTÍCIAS

Carnaval no Conviver é marcado por alegria e descontração

veja mais

Carnaval no Conviver é marcado por alegria e descontração

veja mais

Ouvi-dores atrai público para escuta especializada e testes rápidos de IST

veja mais

Cenário do Coronavírus em Patos de Minas: o que você precisa saber

veja mais

Cenário do Coronavírus em Patos de Minas: o que você precisa saber

veja mais

Cenário do Coronavírus em Patos de Minas: o que você precisa saber

veja mais

Cenário do Coronavírus em Patos de Minas: o que você precisa saber

veja mais

Cenário do Coronavírus em Patos de Minas: o que você precisa saber

veja mais


   VOLTAR